VÍDEOS

Loading...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Maioria dos brasilienses, 56,3% preferem Intervenção Federal em Brasília



Estar marcado para as 15:00h deste sábado dia 17 de Abril a eleição indireta do governador tampão do Distrito Federal, porém se dependesse do povo brasiliense essa eleição indireta não ocorreria, segundo constatou pesquisa realizada de 10 a 13 de abril pela consultoria O & P Brasil Opinião, Análise e Estratégia.
A consultoria perguntou a 1.200 eleitores de Brasília se “seria melhor o presidente Lula nomear um interventor para governar até 31 de dezembro ou os deputados distritais escolherem o novo governador”. Resultado:
56,3% dos entrevistados preferem a intervenção federal e apenas 35,4% aprovam a eleição indireta. Não souberam ou não quiseram responder à pergunta 8,3% dos entrevistados. Registrada no TSE em 9 de abril, a pesquisa tem margem de erro de 2,8 pontos percentuais. Essa é a constatação de que o povo de Brasília não quer que empurrem de goela a baixa essa eleição indiretas e mostra também a falta de legitimidades dos eleitores desta eleição, os 24 deputados distritais. Dos dez candidatos incristos inicialmente seis foram homologadas e disputarão essa eleição indireta e sem legitimidade perante o povo do Distrito Federal. Além disso a Procuradoria Geral da República encaminhou nesta sexta-feira 16de abril ao Supremo Tribunal Federal parecer em que justifica as razões para que seu pedido de intervenção no Distrito Federal inclua o Legislativo local. Segundo o parecer, as investigações do suposto esquema de arrecadação e distribuição de propina no governo do Distrito Federal “apontam o envolvimento de mais de 26 deputados – entre titulares e suplentes – nas fraudes”. No documento, a PGR afirma que “a intervenção bastaria até a posse dos novos deputados eleitos, em 1º de janeiro de 2011. A PGR sugere ainda uma “restrição da pauta do Legislativo” que inclua “questões orçamentárias, aumento de gastos públicos, transferências de recursos e quaisquer assuntos relativos a servidores públicos bem assim prerrogativas ou vantagens dos membros do Legislativo, exceto se, a critério fundamentado do interventor, tratar-se de matéria urgente e relevante”.A intervenção no Legislativo do DF “tem por finalidade evitar novos desvios ou favorecimentos, além da correta aplicação dos gastos públicos, privilegiando o exercício da função fiscalizadora daquele Poder”. A Procuradoria Geral da República pediu a intervenção federal no Distrito Federal dia 11 de fevereiro, poucas horas depois de o Superior Tribunal de Justiça determinar a prisão do ex-governador do DF, José Roberto Arruda-ex-DEMOcratas, por ele ter tentado subornar uma testemunha do inquérito do mensalão do DEMOcratas de Brasília.

Os nomes:
Aguinaldo de Jesus-PRB-Deputado Distrital
Antônio Ibañez-PT-Foi secretário de Educação no governo de Cristovam Buarque-PT
Luiz Filipe Coelho-PTB-Subprocurador-geral da Procuradoria-Geral da República
Messias de Souza-PCdoB-Ex-secretário de Desenvolvimento Social do governo de Cristovam Buarque-PT
Rogério Rosso-PMDB-Foi secretário de Desenvolvimento Econômico e administrador de Ceilândia no último governo Roriz e, na gestão de Arruda, presidiu a Codeplan
Wilson Lima-PR-Governador em exercício do DF, alçado ao cargo porque estava na presidência da Câmara indicado por Arruda

Brasíla, 16 Abril 2010
Enilton Rodrigues

Nenhum comentário: